Mais de 16% das vítimas fatais no trânsito paulista são idosos

Publicado por Redação em . Na categoria Nacional

O Dia Internacional do Idoso pode ser um marco para reforçar a atenção na prevenção de acidentes no trânsito. Pessoas com idade acima dos 60 anos representam 13,2% da população paulista. No que diz respeito ao tráfego, os idosos somam 16,4% das 7.303 vítimas fatais e ainda 7,4% (2.655) dos internados após um acidente no trânsito. A análise é do Observatório Paulista de Trânsito (OPT), do Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran.SP), com base nos dados mais recentes disponibilizados pelo DataSUS (2014 para óbitos; 2015 para internações).
Idosos representam uma taxa de 21,8 óbitos em acidentes de trânsito a cada 100 mil habitantes no Estado de São Paulo — índice acima da média no Estado (17,1). Já a taxa de internações é de 48,4 em um mesmo cenário.
Num recorte por tipo de vítimas, os atropelamentos são metade das ocorrências dos óbitos de idosos no trânsito paulista (49,2%). Em seguida, aparecem os acidentes como ocupante de veículo (19,9%). Dos internados por acidentes de trânsito, 43,2% também são pedestres vítimas de atropelamentos, seguidos por motociclistas, 19,2% (tabelas com todas as estatísticas abaixo).
“Para mudar esta realidade, é necessário enfatizar ainda mais a consciência no trânsito. Por isso, é importante haver políticas públicas voltadas para a melhoria da infraestrutura urbana e da sinalização. Os pedestres, por sua vez, devem fazer a travessia na faixa de segurança. Além disso, não custa lembrar que todos os ocupantes do veículo devem utilizar o cinto de segurança, inclusive no banco de trás”, adverte Antonio Oka, gerente do Observatório Paulista de Trânsito.

 

Dicas para trafegar com segurança
O Observatório Paulista de Trânsito — que reúne, processa, analisa e dissemina informações sobre acidentes de trânsito no Estado de São Paulo — tem dicas para o condutor com mais de 60 anos trafegar com segurança, como evitar dirigir à noite e ao amanhecer; ter cuidado ao realizar ultrapassagens; sempre que possível dirigir por trajetos de curta duração; evitar dirigir em trajetos complicados ou em condições meteorológicas adversas.
Atualmente, há 1.386.332 pessoas com mais de 65 anos estão habilitadas no Estado de São Paulo (de um total de 22.792.213 condutores). A legislação federal prevê que a renovação da Carteira Nacional de Habilitação deve ser feita a cada três anos ou em período menor, de acordo com a avaliação médica.
“Para este grupo é necessário respeitar as indicações do médico perito examinador em caso de restrição ao dirigir além de observar os cuidados com os efeitos colaterais de possíveis medicamentos em uso”, reforça Neiva Aparecida Doretto, diretora-vice-presidente do Detran.