Raul Bueno quer julgamento rápido para tirar cidade da paralisia

Publicado por Redação em . Na categoria Uncategorized

Eleito prefeito em outubro com mais de 50% dos votos válidos em Pirapora do Bom Jesus, Raul Bueno (PTB) aguarda o julgamento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para reverter a decisão que o impediu de tomar posse. Confiante de que não houve irregularidades, o ex-prefeito aponta a necessidade de uma decisão rápida para tirar a cidade da paralisia e incertezas com a posse Dany Floresti (PSD) interinamente.

“A gente está bastante otimista, o recurso mostra que são dois convênios em que eu nem fui citado na época, o Tribunal de Contas (TCE) não me incluiu em nenhuma lista de inelegíveis e não teve multa ou ação de improbidade administrativa em razão desses convênios”, afirma Raul, preocupado com a situação da cidade, com a posse de um governo que não foi eleito.

 “A cidade está vivendo um clima que não merece e não podia estar passando, até por conta de toda essa crise econômica que os governos estão tendo de enfrentar. Pirapora está enfrentando muito mais por conta da mesquinhez das pessoas acharem que a prefeitura é a casa delas”, afirmou.

 A crítica sobre a mesquinhez é direcionada ao ex-prefeito Gregório Maglio (PMDB), derrotado na eleição, e que entrou com o recurso, mesmo após sua derrota nas urnas.

“A cidade está totalmente descuidada. Faltam serviços, médicos, e todo este atraso por conta de um grupo que faz o possível e o impossível para se perpetuar no poder. Hoje ,o próprio prefeito interino é refém de uma situação, porque para chegar até lá racharam a prefeitura como se fosse uma companhia particular”, aponta Raul, citando a votação para a presidência da Câmara.

O petebista também critica os aliados de Gregório, que têm espalhado uma série de boatos na cidade, como a afirmação de que Raul concorreu sabendo que poderia ter problemas. No entanto, Raul enfatiza que a Justiça Eleitoral aceitou sua candidatura e apenas o Tribunal Regional Eleitoral (TRE), por conta do recurso de Gregório, mudou a decisão. “Há jornais que falam que eu tinha conhecimento. Como saberia, se fomos deferidos?”, questiona.  “A oposição vem soltando jornais com matérias falsas dizendo que a justiça determinou novas eleições. Só haverá novo pleito se perdermos todos os recursos, o que não acreditamos que ocorra, se Deus quiser”, complementa.

O judiciário entrou em recesso e o TSE deve voltar a se reunir em fevereiro.  O prefeito lamenta a situação da cidade tendo em vista que já havia montado um grupo capacitado para ajudar a reconstruir Pirapora. “Tínhamos buscado parcerias para gerar empregos na região, começamos a montar um secretariado de ponta, com pessoas capacitadas e imbuídas no projeto de comprometimento com a cidade”, conta. Raul agradeceu o apoio da população.

“Eu só tenho a agradecer à população porque estamos recebendo muito apoio. A maior parte está se manifestando favoravelmente a nós e acha um absurdo isso de não prevalecer a opinião popular, o resultado das urnas”, diz. “Sinto que as pessoas lamentam essa postura do ex-prefeito, de tentar no tapetão aquilo que o povo decidiu, não está prevalecendo o respeito à cidade e à opinião popular”.